(11) 9.6597-8702 | contato@davincienergy.com.br
You are currently viewing 8 formas de utilizar alarmes para otimizar o gerenciamento de energia

8 formas de utilizar alarmes para otimizar o gerenciamento de energia

Os alarmes e alertas configurados em sistemas de gestão de energia são ferramentas valiosas. Eles permitem a identificação de padrões e/ou limites previamente estipulados no sistema elétrico. Suas características variam entre diferentes sistemas, mas, geralmente, possuem a função principal de identificação imediata de distúrbios no sistema e nas medições. No entanto, estas ferramentas requerem uma configuração prévia para que se obtenha o maior valor em termos de velocidade na tomada de decisão e eficiência na manutenção preventiva e preditiva do sistema. Veja a seguir 8 formas de utilizar alarmes para otimizar o gerenciamento de energia.

1. Definição de limites superiores e inferiores para grandezas

Esta é a categoria mais utilizada para configuração de alarmes. A definição de limites superiores e inferiores para tensão e corrente pode guiar as manobras de entrada e retirada de grandes cargas, assim evita desligamentos e paradas na produção. Já a definição de limites superiores para consumo de energia e demanda aprimoram a gestão de custos com energia ao gerenciar o rateio de consumo entre áreas e evitando multas por ultrapassagem de demanda. E a definição de limites inferiores para o fator de potência otimizam a utilização da energia e evitam penalizações.

2. Definição de parâmetros normativos

Os parâmetros normativos – apesar de também serem grandezas medidas pelo medidor ou calculadas pelo sistema –, merecem uma atenção especial pois seus limites são definidos por órgãos reguladores como a ANEEL, o ONS, entre outros.

O limite inferior para o fator de potência, por exemplo, é definido por norma no valor de 0,92. A configuração de alarme com este limite inferior evita penalizações e otimizam o uso da energia.

Outros exemplos podem ser observados em documentações como o Módulo 8 do PRODIST, que define limites superiores para parâmetros de qualidade de energia como Harmônicas de Tensão, Desequilíbrio de Tensão, Variação de Tensão em Curta Duração, entre outros.

3. Definição de alarmes de saúde do sistema

Ainda que os parâmetros elétricos descrevam a situação atual, é importante o gerenciamento dos parâmetros periféricos que promovem um funcionamento ótimo do sistema. Sendo assim, é importante configurar alarmes de falhas de comunicação com dispositivos de monitoramento térmico de painéis e máquinas, de status da base de dados e do próprio sistema de gestão de energia.

4.  Definição de prioridade de alarmes

Em um sistema de grande porte, com muitos dispositivos conectados, a definição de prioridade de alarmes traz eficiência e agilidade na análise dos eventos. Assim, sendo possível guiar o operador para atuar na correção dos problemas de maior impacto. Por isso, uma definição de prioridade bem-feita está diretamente vinculada a diminuição de tempos de parada e, consequentemente, a redução de custos.

5.  Agrupamento de alarmes de mesma característica

Alguns sistemas de gestão de energia permitem o agrupamento automático de alarmes de mesma característica. Ou seja, alarmes com a mesma grandeza, ordem de variação, forma de onda ou perfil harmônico similar podem ser agrupados. O agrupamento facilita a detecção da causa raiz do problema a partir da análise da periodicidade, localização e características equivalentes.

6. Detecção de direcionalidade de eventos de qualidade de energia

O cálculo da direcionalidade de distúrbios é feito a partir da análise estatística do fluxo de potência no período do evento.

A análise da direcionalidade deste distúrbio responsável pelo alarme permite a localização rápida do ponto que se iniciou o evento. Isto permite que o operador atue diretamente no problema, trazendo eficiência na manutenção e redução de possíveis períodos de parada de produção.

7. Visualização de formas de onda de eventos para detecção de causa

No caso de alarmes relativos a eventos de qualidade de energia, como elevações, afundamentos e transitórios, na maioria dos casos é necessária uma análise da causa raiz do evento para que se tome uma ação efetiva para solução. Muitas causas, como entrada e retirada de cargas, sobredimensionamento de transformadores ou carga atmosférica, podem ser identificados pela análise do perfil da forma de onda, pelo espectro harmônico e/ou pelos períodos exatos de início e fim do evento.

8. Configuração de envio de SMS ou E-mail com base na prioridade do alarme

Ainda que grande parte dos alarmes embutidos em sistemas de gestão de energia possuam avisos visuais e sonoros, é importante o envio de alertas por SMS ou E-mail.

Como muitas vezes a equipe de operação não está com acesso ao software a todo momento, é importante que se configure também o envio por SMS ou E-mail para eventos de prioridade alta que necessitam de uma tomada de decisão rápida e precisa.

Com esta configuração, o operador toma conhecimento de qualquer irregularidade em sua planta independentemente de onde está, via acesso pelo celular.

Agora que conheceu as 8 formas de utilizar alarmes para otimizar o gerenciamento de energia, conheça o  SIGE Metrum é um sistema integrado para gestão de energia, composto por ferramentas e aplicativos que automatizam e simplificam o gerenciamento total dos insumos energéticos. Em suma, entre as suas funcionalidades está uma ampla diversidade de alarmes para diferentes níveis de reconhecimento. Estas funcionalidades são fundamentais para os setores de utilidades e manutenção, pois emitem alertas que guiam a análise do operador e trazem eficiência na execução de manobras e correções. Esta eficiência se torna um diferencial competitivo quando o resultado é o menor número de paradas de produção e consequentemente melhor uso do insumo energético.

Fonte https://memt.com.br/blog/?p=681